Traçando uma perspectiva para o futuro do mercado de energia solar, Rodolfo Castro, sócio fundador da RH Renováveis, apontou que há bastante expectativa a respeito do uso de sistemas de armazenamento junto às usinas fotovoltaicas. 

De acordo com ele, as baterias podem auxiliar na integração entre a energia solar e outras fontes – térmica, eólica ou hidráulica – e podem gerenciar o despacho da geração intermitente, além de promover maior segurança e qualidade do fornecimento. 

“Na última década, o custo das tecnologias de armazenamento teve redução significativa. Somada à redução também significativa de tecnologias fotovoltaicas, as aplicações solares com baterias podem se tornar cada vez mais atrativas, competindo, por exemplo, com geradores diesel em regiões isoladas”, explicou Castro. 

O especialista ressaltou ainda que está previsto para 2021 um leilão de sistemas isolados. Portanto, espera-se, segundo o mesmo, que apareçam projetos de geração solar utilizando sistemas de armazenamento para competir com as fontes tradicionais.

“A energia fotovoltaica passará, ao longo dessa década, a competir com as outras fontes sem nenhuma forma de subsídio e poderá, então, demonstrar sua maturidade competitiva frente às fontes convencionais. Os novos modelos de geração e o mercado de atributos poderão trazer novas oportunidades de negócios para todo o setor solar”, finalizou.  

Edital do leilão de sistemas isolados é aprovado

A ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou, no dia 23 de março, o edital do Leilão para Suprimento aos Sistemas Isolados de 2021. O certame está previsto para acontecer no dia 30 de abril pela internet. 

Serão licitados cinco lotes de soluções para suprimento de energia elétrica aos consumidores de locais ainda não conectados ao SIN (Sistema Interligado Nacional).

Source link