O BNDES anunciou que vai financiar a implantação de 14 usinas fotovoltaicas no Complexo Janaúba, localizado no norte de Minas Gerais – considerado um dos maiores da fonte solar em construção na América Latina.

O financiamento às 14 SPE (Sociedades de Propósito Específico) constituídas para esse projeto será de R$ 1,47 bilhão. De acordo com o banco, tal montante equivale a 72% do investimento total, de R$ 2,04 bilhões, e ocorrerá de forma direta, no âmbito do BNDES Finem. 

“O apoio ao Complexo fotovoltaico Janaúba demonstra o compromisso do BNDES com programas que ampliem a participação das fontes renováveis na matriz energética brasileira. Além de gerar emprego e renda no entorno, o projeto concilia a preservação do meio-ambiente com o desenvolvimento do país”, explicou Petrônio Cançado, diretor de Crédito e Garantia do BNDES. 

Leia mais: Bancos ampliam linhas de créditos para financiar projetos renováveis

Os aportes nessas 14 plantas envolvem a aquisição de módulos fotovoltaicos, de trackers e de inversores, bem como obras para construção da subestação e a instalação das linhas de conexão para integração ao SIN (Sistema Interligado Nacional).

Empresas firmam contrato de autoprodução 

A brasileira LIASA, produtora mundial de silício metálico, e a canadense Elera Renováveis firmaram um acordo para construir dois dos 20 parques previstos para o Complexo Janaúba.

De acordo com as empresas, serão duas SPEs que totalizarão 120 MWp de capacidade instalada. O contrato, assinado em regime de autoprodução, terá duração de 20 anos.

Ao total, as companhias devem investir R$ 300 milhões nas obras. A operação comercial da primeira fase do projeto está prevista para o segundo semestre de 2022.

O Complexo Janaúba, considerado um dos maiores da fonte solar em construção na América Latina, possui 1,2 GWp, dos quais 1 GWp já foram negociados no mercado livre. O mesmo foi adquirido em 2020 pela Elera Renováveis, por R$ 3 bilhões. 

Ademais, ocupa área de 3 mil hectares onde já trabalham 525 profissionais, com estimativa de criação de mais de mil postos de trabalho.

Mais projetos

A empresa canadense também selou um acordo com a multinacional Reivax para fornecer o sistema PPC (Power Plant Controller) para controle de usinas solares fotovoltaicas no parque Alex, em construção em Limoeiro do Norte (CE). O complexo terá 278 MW de potência e a previsão é que comece a operar em 2022.

“A conquista dessa parceria certamente representa um marco para a Reivax, porque a empresa acaba de lançar uma solução de controle exclusivo para o mercado de renováveis. Isso demonstra a confiança e segurança que a Elera tem em nossa tecnologia”, disse Fernando Amorim da Silveira, CEO da Reivax.

Source link