Consumidores adeptos ao uso da energia solar e profissionais do mercado fotovoltaico estão otimistas quanto à aprovação do PL 5829 e seu respectivo impacto positivo no setor. Esta é a avaliação de Luiz Scagnolato, CEO da distribuidora de equipamentos fotovoltaicos TenBrasil.

“As pessoas estão confiantes que os deputados vão votar a favor desta PL, que ela vai passar e vai dar tudo certo. Isso virá para o benefício das pessoas e é visível o engajamento de todos os deputados em defender esta causa”, afirmou o executivo durante episódio do podcast Papo Solar.

“Eu realmente acredito ser só questão de tempo para tudo se encaixar. E a TenBrasil também acredita, tanto que a empresa investe no mercado, investe em ter um bom estoque, tudo isso apostando que o PL 5829 terá sucesso e que nós precisamos melhorar a nossa rede de distribuição e a nossa matriz energética por inteira”, acrescentou.

Scagnolato ainda destacou que além da expectativa de aprovação do PL 5829/19, o acionamento da bandeira vermelha pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) neste mês fez com que muitos projetos fotovoltaicos saíssem do papel.

“A gente vê que muitos projetos que estavam parados começaram a sair do papel por causa da mudança na bandeira [tarifária]. O mercado está abrindo por causa das políticas estaduais em relação à pandemia da Covid-19 e a bandeira vermelha está ajudando o mercado a se aquecer novamente”, afirmou.

Ainda durante o Papo Solar, Scagnolato comentou a relevância do conhecimento técnico na vida dos profissionais que atuam no setor fotovoltaico. “O mercado de integração está bem concorrido e os profissionais que buscam conhecimento são os que vão sair na frente, se estabilizando e posicionando de uma forma melhor no mercado”, destacou.

Visando atender e contribuir para a qualificação profissional de quem atua no setor, o executivo informou que a TenBrasil fará uma campanha de capacitação para os integradores. “Será uma campanha para ajudar nossos parceiros. Serão oito semanas de aula, onde vamos ensinar várias questões fiscais e jurídicas. Tudo realmente pensado no integrador e nas dificuldades de quem não tem assessoria, não tem as pessoas corretas onde buscar informações”, explicou.

“Se temos uma profissionalização dos integradores, uma melhor instalação, uma formação de preço, uma valorização melhor do produto e serviço que eles estão oferecendo, com certeza vamos melhorar o nosso mercado”, concluiu Scagnolato.

Source link