O Estádio Olímpico do Pará – mais conhecido como Mangueirão – e que, inclusive, já recebeu quatro jogos da seleção brasileira de futebol, passará por uma modernização para lá de sustentável.

A arena, inaugurada em 1978, receberá a instalação de uma usina solar e irá contar ainda com sistemas de captação e reaproveitamento de água da chuva, bem como ampliará sua capacidade dos atuais 35 mil para mais de 53 mil pessoas.

Leia mais: Mirassol investe em energia solar para gerar energia para seu CT

A implantação da usina fotovoltaica contará com a participação da SDB Energia Solar e, ao total, serão utilizados 3.360 módulos fotovoltaicos capazes de produzir mais de 1,6 GWh por ano. 

Conectada à rede de distribuição local, a planta irá contribuir com a redução de mais de 5 mil toneladas de CO₂ na atmosfera ao longo de 25 anos, o equivalente ao plantio de mais de 20 mil árvores.

“Teremos o desafio de aproveitar a cobertura original do estádio para a produção de energia fotovoltaica, sem no entanto afetar sua arquitetura característica que é parte própria da identidade do Mangueirão”, disse Lucas Macedo, CEO da SDB Energia Solar.

Leia mais: Conheça o time de futebol mais sustentável do mundo

O projeto, realizado pela SEDOP (Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas) do Governo do Pará incluirá também um novo sistema de iluminação, drenagem e gramado nos padrões exigidos pela FIFA – contribuindo para a melhoria dos acessos e diversas intervenções para ampliação da segurança do público.

Com prazo de 18 meses, as obras já foram iniciadas pelo Consórcio Obras Mangueirão, formado pela MRM, OCC e a SDB. Com um investimento superior a R$ 146 milhões, a previsão de entrega é para o final de 2022. 

Source link