O Brasil ultrapassou a barreira do 1 GW de GD (geração distribuída) solar produzida em 2021. Nos primeiros cinco meses do ano, o país contabilizou 1,05 GW de potência instalada, segundo dados da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

Este número representa mais de 40% de toda energia solar em GD produzida em 2020, quando 2,56 GW foram computados no sistema da Agência em doze meses. Os dados obtidos ainda correspondem a mais de dois terços dos 1,5 GW de energia fotovoltaica produzidos em todo ano de 2019.

Caso o desempenho obtido nos primeiros cinco meses se mantenha até o restante do ano, o Brasil deverá atingir níveis de produção de energia solar similares ou até superiores aos obtidos em 2020, ano com maior geração desse tipo de energia.

O montante de energia solar gerado entre janeiro e maio de 2021 ainda supera com folga os valores registrados em todos os anos anteriores, que sequer chegaram a atingir 1 GW ao longo de seus doze meses. Atualmente, segundo dados atualizados pela ANEEL nesta quarta-feira (2), o país conta com 5,73 GW de potência instalada. 

Dentre as regiões brasileiras, a que mais gerou energia solar entre os meses de janeiro e maio deste ano foi a Sudeste, com cerca de 0,4 GW. Na sequência, aparecem: Nordeste (0,21 GW); Sul (0,19 GW); Centro-Oeste (0,18 GW) e Norte (0,07 GW), respectivamente.

Já entre as classes de consumo, os lares brasileiros foram os que produziram os maiores volumes de geração de energia neste ano, com 0,52 GW de potência instalada, cerca de 50% do total. Também se destacaram neste quesito os empreendimentos comerciais e as propriedades rurais, com 0,29 GW e 0,15 GW, respectivamente.

Além do volume de potência solar instalada, os dados da ANEEL revelam que mais de 105,5 mil unidades de geração distribuída solar foram introduzidas no sistema brasileiro de compensação de energia, o que representa um aumento de aproximadamente 25% na comparação com o mesmo período do ano passado, com 83,8 mil UCs produzindo energia a partir do Sol.

Source link