Cada vez mais fabricantes de módulos fotovoltaicos vêm apresentando painéis maiores, com diferentes larguras, comprimentos, espessuras e número de células fotovoltaicas. Isso ocorre devido à inovação nos tamanhos de células, entre outros fatores.

Só para se ter uma ideia, em 2005 o wafer media 125 mm, hoje já existe wafer medindo 210 mm. Com isso, as empresas que integram a indústria fotovoltaica precisam se adaptar para acompanhar as novidades e oferecer equipamentos compatíveis.

Entre estas empresas estão as que atuam na fabricação de estruturas fotovoltaicas. Ao longo dos anos, elas constantemente se atualizam para trazer soluções que ofereçam segurança e eficiência para as instalações de sistemas em telhados nas propriedades brasileiras.

Com essa mudança, as fabricantes de estruturas fotovoltaicas precisam atualizar seus portfólios e investir em iniciativas para desenvolver e produzir equipamentos que atendam as necessidades do mercado fotovoltaico.

Leia também: Mercado brasileiro terá norma específica para estruturas de energia fotovoltaica

Pablo Larrieux, diretor de marketing da Solar Group, explica que a demanda contínua por produtos que acompanhem as mudanças do mercado fotovoltaico exige que empresas invistam cada vez mais em P&D (Pesquisa e Desenvolvimento), entre outros fatores.

“O investimento em P&D é fundamental, pois o mercado está em constante evolução. Além das mudanças no mercado, a Solar Group considera a opinião dos integradores e instaladores, sendo esse o ponto de partida para o desenho de produtos que atendam, cada vez mais, as demandas do mercado de uma forma adequada e funcional”, destaca.

Larrieux ainda explica como a fabricante de estruturas fotovoltaicas vem atuando no mercado para acompanhar as alterações nos tamanhos dos painéis. “Para as estruturas de fixação, módulos maiores requerem duas alterações básicas: o comprimento dos perfis e a quantidade de fixadores necessários para suportar a estrutura. Com relação ao primeiro ponto, a Solar Group disponibiliza ao mercado perfis no comprimento necessário para suportar esses novos módulos. Com relação aos fixadores, a área de P&D realiza um trabalho técnico, atualizando as tabelas de distância em que os fixadores devem ser colocados para garantir a segurança da instalação”.   

Mas o que ocorre quando um cliente faz a troca de painéis pequenos por maiores? A estrutura pode ser reaproveitada? “Uma estrutura construída dentro de um processo de excelência e com matérias primas de qualidade tem uma vida útil de pelo menos 20 anos. Se esse for o caso, não existe problema em reutilizar as estruturas existentes”, afirma Larrieux. 

“Porém, devido às dimensões diferentes dos painéis, muito provavelmente será necessário adaptar as estruturas para suportar os novos módulos, tanto no comprimento dos perfis, quanto na quantidade de fixadores. Um outro ponto importante que também precisa ser considerado é se a estrutura do telhado comporta a carga adicional que os painéis geram”, acrescenta.

Source link