As restrições sociais mais rígidas impostas pela China para conter o mais novo surto de Covid-19, que está na sua quarta semana e envolve mais de uma dúzia de cidades, atingiu em cheio o setor de transportes, com mais um aumento no preço do frete marítimo. 

De acordo com informações da Port Trade, o valor ficará cerca de $ 500 mais caro no Brasil a partir deste domingo (15). “O aumento será para o desembarque de contêineres. Dependendo da companhia marítima e do tipo de equipamento, esse valor poderá ultrapassar os US$ 11 mil”, explicou Cleber Baldotto, gerente operacional da empresa. 

Somente na última semana, mais de 600 novas infecções pela doença foram registradas pelo governo chinês, um aumento de mais de 85% na comparação com o número total de casos registrados na semana anterior. Os acontecimentos já estão sendo acompanhados e monitorados por diversas distribuidoras, como Genyx, TENBrasil e BelEnergy. 

Somente a variante Delta já foi detectada em mais de uma dúzia de cidades chinesas desde que os primeiros casos foram encontrados em Nanjing, no final de julho. O surto levou autoridades a reforçar medidas de contenção para combater a disseminação do vírus, o que afetou a rotina de profissionais que atuam nos principais portos do país.  

Nesta sexta-feira (13), por exemplo, a China fechou um dos terminais do porto de Ningbo-Zhoushan e colocou cerca de dois mil trabalhadores em quarentena após detectar apenas um caso de Covid-19 entre os funcionários.  O espaço é o terceiro maior porto marítimo do mundo e 25% de sua movimentação acontece no terminal que foi fechado por tempo indeterminado. “Alguns problemas estão acontecendo em outras localidades. Em Shenzhen, por exemplo, há restrições por causa da vigilância sanitária”, destacou Baldotto. 

Problema mundial 

Não é só no Brasil que o aumento do preço do frete marítimo tem gerado preocupação. Na Europa e nos Estados Unidos, o valor também “explodiu” nos últimos meses. “A gente já tem recebido informações que os fretes estão variando entre US$ 20 mil e US$ 23 mil (…) O aumento está sendo muito maior nesses países do que no Brasil”, revelou Baldotto. 

Leia também: 2º semestre será mais desafiador para importação de equipamentos fotovoltaicos.

Desde o começo do ano, o preço do polisilício e do frete marítimo vem registrando altas em todo mundo. Historicamente, o silício nunca esteve numa cotação tão alta e a tendência é ficar ainda mais caro nos próximos meses. Já o frete marítimo subiu mais de 30% no primeiro semestre, saltando de US$ 6 mil para US$ 10 mil, entre os meses de janeiro e junho, segundo a Port Trade.

Source link