A Polícia Militar do estado de São Paulo (SP)  iniciou hoje (1), o período de 90 dias para a avaliação de desempenho com veículos elétricos dedicados ao trabalho policial.

Os carros utilizados nessa etapa de teste são dois do modelo Leaf, da fabricante automotiva Nissan, e um I5, da fabricante BYD. As três viaturas já estão à disposição do CPA/M-5 (Comando de Policiamento de Área Metropolitana), na zona oeste da capital. As fabricantes foram definidas por uma audiência civil pública. 

Os veículos serão utilizados no programa de ronda escolar e no atendimento de chamadas pelo 190 na área do 23º BPM/M (Batalhão de Polícia Militar Metropolitano). A região é a que concentra o maior número de pontos de recarga de carros elétricos na cidade.

O projeto visa avaliar a qualidade de operação dos carros, considerando suas características tecnológicas, como o tempo de recarga das baterias, a resposta na aceleração e o sistema de freios.

Também serão avaliadas algumas peculiaridades dos veículos, como baixo ruído e possível economia em manutenção, já que os veículos não possuem vários componentes mecânicos presentes nos modelos movidos à combustão. 

“Além de ser um veículo 100% movido a energia limpa, temos a expectativa de redução em custos de manutenção e também de equipar a Polícia Militar com alternativas de fontes de energia para suas viaturas”, afirma Carlos Henrique Lucena, tenente coronel responsável pelo projeto. 

Leia também: BYD lança novos modelos de automóveis com sistema híbrido

“Existem protocolos internacionais de redução na fabricação de modelos movidos à combustão e também estaremos preparados para eventuais crises no fornecimento de combustíveis fósseis”, completou.

As viaturas foram recebidas adesivadas e com equipamentos de navegação por GPS, sinais luminosos, sirenes e radiocomunicação instalados. Após os períodos de teste, o CMM (Centro de Motomecanização da Polícia Militar) irá produzir um relatório com os resultados da avaliação e todas as especificações técnicas necessárias aos processos licitatórios.

Se aprovado, o documento poderá ser utilizado em possíveis propostas de compra da PM e de demais órgãos públicos interessados em adquirir modelos elétricos. A expectativa é trocar parte da frota da PM, atualmente, de 20 mil veículos, por modelos com zero emissão de carbono. 

Publicado Originalmente no Canal Solar em 2021-09-01 16:32:07