A adoção de VEs (veículos elétricos) segue aumentando no mundo. Segundo a consultoria britânica Wood Mackenzie, mais de 950 milhões estarão nas estradas nos próximos 30 anos. Para isso, é estimado que cerca de 74 milhões de unidades sejam comercializadas por ano até 2050.

Em meio a este cenário de crescimento, o mercado de baterias acaba sendo, consequentemente, beneficiado. É o que afirmou Adalberto Maluf, diretor de marketing e sustentabilidade da BYD.

Isso porque, de acordo com ele, existe a possibilidade de utilizar a mesma célula de baterias para veículos e projetos de armazenamento, como é o que é feito pela BYD. 

“O crescimento da mobilidade elétrica contribui significativamente para a redução dos custos dos sistemas de armazenamento de energia, tanto off-grid quanto on-grid”, destacou o executivo.

“A venda de elétricos 100% à bateria cresceu cerca de 150% no primeiro semestre de 2021 na China, Estados Unidos e Europa, aumentando a escala de desenvolvimento de baterias de lítio e projetando reduções de preços de produção no curto e médio prazo”, acrescentou. 

Leia mais: PM da capital paulista começa a usar veículos elétricos no patrulhamento

Tendência de expansão, esta, que já está sendo possível enxergar em fabricantes, como a Dyness, que está aumentando a capacidade de produção de baterias em sua fábrica localizada na China. “Para uma fábrica no Brasil, estamos analisando”, disse Allen Lei, diretor comercial da empresa.

Leia mais: Mercado de baterias no mundo e suas principais tendências

Portanto, segundo Maluf, em função do crescimento da venda de VEs no Brasil e no mundo, se torna cada vez mais importante a criação de um marco que permita que o veículo elétrico seja o centro da revolução para a rede inteligente. 

“Assim, o mesmo poderá ser usado como uma pequena bateria de armazenamento de energia para carregar durante a noite e depois, durante o horário de pico, retirar as residências e comércios da rede. Ou seja, é uma importante maneira de reduzir voluntariamente o consumo de eletricidade no horário de pico”, concluiu. 

Mercedes-Benz aposta no mercado de baterias

A empresa que também está apostando no mercado de armazenamento é a Mercedes-Benz, que firmou uma cooperação com a GROB-WERKE para a produção industrial de baterias – o que incluirá nove fábricas em três continentes. 

“Com a Mercedes, em estreita coordenação e no espírito do Design for Manufacturing, iremos preparar o desenvolvimento e construção das linhas de usinagem altamente especializadas”, afirmou German Wankmiller, presidente executivo da GROB. 

“A cooperação é também uma continuação lógica de uma colaboração de longa data com a Mercedes e sublinha a forte parceria que já existe há anos. Agora também no campo de conceitos inovadores de instalações para módulos e conjuntos de baterias”, ressaltou. 

Com o acordo, a montadora terá apoio na expansão de sua capacidade de produção de baterias – a serem usadas em veículos Mercedes-EQ a partir de 2025. A meta da companhia é se tornar totalmente elétrica antes do final da década. 

Publicado Originalmente no Canal Solar em 2021-09-08 07:00:22