Lei publicada no Diário Oficial de Campinas (SP) anuncia a instalação de painéis fotovoltaicos em prédios públicos do município para geração de energia. O texto prevê que os equipamentos sejam instalados até, no máximo, setembro de 2023.

De autoria do vereador Cecílio Santos (PT), a lei visa que a implementação do sistema atenda, no mínimo, 50% da demanda de energia dos prédios municipais. Se houver excedente de energia gerada pelos painéis, a Prefeitura Municipal poderá negociá-lo com fornecedores de energia ou com comunidades próximas.

A lei ainda prevê acordos de adequação do sistema fotovoltaico em caso de imóveis com alta demanda de energia ou em prédios onde a instalação seja inviável. Mas todas as novas edificações públicas de Campinas já serão projetadas preparadas para receberem painéis solares.

Leia também: Energia fotovoltaica cresce 87,71% na região de Campinas em um ano

Na justificativa da proposta da lei, o vereador reforça que a energia solar fotovoltaica desponta como uma matriz viável para o enfrentamento da crise energética mundial.

“Além de ser uma das melhores fontes para geração de energia elétrica, a energia solar fotovoltaica é uma excelente alternativa para a expansão da oferta com menor impacto ambiental e baixo custo”, diz no texto.

“A energia solar não gera resíduos poluentes e nem gases causadores do efeito estufa

[…] Esse tipo de energia renovável tem se mostrado uma opção em vários países. No Brasil, apesar da alta incidência da radiação solar, o uso ainda é insignificante”, continua a justificativa.

Segundo o vereador, a implantação do sistema fotovoltaico nos prédios públicos de Campinas contribuirá para a diminuição das contas de energia elétrica ao longo do tempo, além de estimular o uso desta fonte energética.

Imagem: Arquivo Prefeitura Municipal de Campinas

Publicado Originalmente no Canal Solar em 2021-11-09 09:35:07