Mesmo com todos os problemas na cadeia de abastecimento mundial, a energia solar segue batendo recordes de geração no Brasil. Faltando pouco mais de 40 dias para o encerramento do ano, a potência instalada fotovoltaica no segmento de GD (geração distribuída) em 2021 já é maior do que em todo o ano de 2020.  

De acordo com dados da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), a fonte solar atingiu, no começo da noite desta quarta-feira (10), a marca de 2,668 GW de potência instalada no acumulado dos dias 1º de janeiro a 10 de novembro. Em todo o ano passado, este número foi de 2,665 GW.

Os números parciais de 2021 também já representam um recorde para o setor, tendo em vista que em nenhum outro ano houve registro de tanta potência instalada a partir da captação da luz do Sol em residências, estabelecimentos comerciais, propriedades rurais, entre outras classes de consumo.

Os dados da ANEEL apontam ainda que mesmo tendo um pouco mais de potência instalada que em relação a 2020, o número de sistemas instalados neste ano é quase 25,4% maior: 267,7 mil contra 213,4 mil – o que evidencia uma clara preferência dos consumidores brasileiros por sistemas com menor faixa de potência.

Segundo a Agência, das 267,7 mil sistemas  solares instaladas no país, cerca de 267,5 mil são de sistemas com até 750 kW, o que corresponde a 99,92% do total. Uma das principais razões que explicam os números é o aumento no valor da conta de luz. “A energia solar tem ajudado a baratear a conta de luz de todos os brasileiros com a redução do uso de termelétricas fósseis, que são mais caras, poluentes e responsáveis pela bandeira vermelha, incluindo o adicional de escassez hídrica”, destacou Ronaldo Koloszuk, presidente do Conselho de Administração da ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica).

Unidades consumidoras

Nesta semana, o Brasil também ultrapassou a marca de 800 mil unidades consumidoras com geração própria de energia solar, segundo informações da ABSOLAR, com base em dados da ANEEL.

De acordo com a associação, a modalidade já representa mais de 7,2 GW de potência instalada operacional. Desde 2012, a fonte já foi responsável pela atração de mais de R$ 36,7 bilhões em investimentos ao país, agregando mais de 217 mil empregos no período. 

“A energia solar terá função cada vez mais estratégica para o atingimento das metas de desenvolvimento econômico e ambiental do país, sobretudo neste momento, para ajudar na recuperação da economia pós-pandemia”, frisou Rodrigo Sauaia, CEO da ABSOLAR. 

 

Foto: Rodolfo Carvalho.

Publicado Originalmente no Canal Solar em 2021-11-11 06:00:55