Hospital na Unicamp recebe usina fotovoltaica em telhado

A usina do IOU conta com 162 painéis e um inversor 60 kW. Foto: Divulgação

O IOU (Instituto de Otorrinolaringologia & Cirurgia de Cabeça e Pescoço), na Unicamp, em Campinas (SP), inaugurou uma usina solar fotovoltaica em telhado nesta quarta-feira (1º). A iniciativa faz parte do programa CPFL nos Hospitais, parceria entre a CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz) e a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

Foram instalados 162 painéis policristalinos de 405 Wp, além de um inversor Weg 60 kW. A usina possui potência instalada de 65,6 kWp, além de capacidade de geração anual de 96 MWh. O investimento, de R$ 290 mil, foi custeado pela distribuidora no âmbito do Programa de Eficiência Energética ANEEL. 

De acordo com Luiz Carlos Pereira da Silva, professor da FEEC (Faculdade de Engenharia Elétrica e Computação) e Coordenador da Câmara Técnica do Programa de Gestão de Energia nos Campi da Unicamp, a usina deve atender de 5 a 10% do consumo do hospital.

“É uma estimativa, uma vez que o Instituto ainda não está em funcionamento. Mas já identificamos outros locais no prédio onde podem ser instalados mais painéis para aumentar a capacidade de geração energética do IOU”, contou Silva ao Canal Solar.

A cerimônia de inauguração contou com a presença do prefeito da cidade, Dario Saadi, que conversou com o Canal Solar sobre a importância da iniciativa. “Do ponto de vista da cidade, isso é fantástico. Já temos parceria com a CPFL, neste mesmo programa, com três UPAs, o Hospital Ouro Verde e estamos concluindo no Hospital Mário Gatti”, explicou. 

O prefeito ainda anunciou que estão previstas também as instalações de painéis fotovoltaicos na UPA Metropolitana do Padre Anchieta e também no Hospital Metropolitano, espaço que será transformado na unidade médica especializada em atendimento pediátrico, o Hospital Mário Gattinho.

“Isso significa um avanço tremendo. Nós já registramos quase 43% de economia com a energia solar”, contou Saadi em entrevista ao Canal Solar, falando sobre os registros nas unidades campineiras que já receberam a instalação das usinas. “Isso além de trazer benefícios para o meio ambiente e reduzir os custos do município. Estes recursos serão investidos na saúde da cidade”, completou Saadi.

“O Programa CPFL nos Hospitais tem tido um papel muito importante no apoio às instituições públicas e filantrópicas, por meio do uso eficiente e sustentável da energia. Esta entrega, assim como as demais 182 já concluídas, são motivo de orgulho para a companhia e está alinhado com nosso plano de sustentabilidade”, destacou Luis Henrique Ferreira Pinto, vice-presidente de operações reguladas da CPFL Energia, que também esteve presente na inauguração.

Energia Solar na Unicamp

Segundo o professor Luiz Carlos Pereira da Silva, a Unicamp conta com vários outros painéis solares instalados nos prédios do Campus, inclusive no Hospital das Clínicas, e, somadas, as plantas fotovoltaicas já geram 5% de todo o consumo anual da universidade. 

“Conseguimos mostrar que a eficiência energética dá lucro e temos a intenção de aumentar a nossa planta fotovoltaica em três anos”, disse, explicando sobre o trabalho da Câmara Técnica do Programa de Gestão de Energia. “Na Unicamp inteira nós vamos ultrapassar 2 MW de geração fotovoltaica até o meio de 2022. Mas a nossa previsão é não parar aí, vamos continuar. É só o primeiro passo.”, conclui.

Publicado Originalmente no Canal Solar em 2021-12-02 09:00:12