Importação de módulos FV no Brasil registra crescimento de 82,3%

Brasil já contabilizou a entrada de 8,70 GW entre janeiro e novembro de 2021. Foto: Isabella Ribeiro

O volume de importação de módulos fotovoltaicos para o Brasil já registra um crescimento de 82,3% em 2021 na comparação com o ano completo de 2020, segundo informações da Greener, empresa de consultoria especializada no mercado de energia solar. 

De acordo com o levantamento, o volume de equipamentos que entrou no país entre janeiro e novembro atingiu a marca de 8,7 GW. Em 2020, os números ficaram em 4,77 GW ao longo dos doze meses do ano. 

“Esses são os números parciais até novembro. Falta incluir os volumes de dezembro de 2021. Então, tudo indica que será um ano de importante crescimento e, inclusive, da ordem de 100% em relação aos volumes que entraram no ano de 2020”, destaca Marcio Takata, CEO da Greener.

Os dados contabilizados pela consultoria também levam em consideração o volume de importação dos módulos solares em anos anteriores. Na comparação com 2018, por exemplo, os índices registrados em 2021 já são quase cinco vezes maiores: 1,84 GW contra 8,70 GW. 

Ao todo, neste ano, foram importados 2,32 GW no primeiro trimestre; 2,55 GW no segundo, e cerca de 1,7 GW no terceiro. O quarto e último trimestre, até o momento, sem os volumes de dezembro, já conta com a entrada de 2,13 GW no mercado nacional. 

Volume de importação de módulos FV no Brasil

  • 2018: 1,84 GW
  • 2019: 4,08 GW
  • 2020: 4,77 GW
  • 2021 (até novembro): 8,70 GW

Importação de inversores 

Os dados da empresa de consultoria também apontam que o volume de inversores fotovoltaicos importados para o Brasil alcançou a marca de 8,98 GW em 2021, sendo 81,7% acima se comparado ao ano completo de 2020. Quando comparado a 2018, o crescimento é quase 7,5 vezes maior. “Tivemos também uma importante evolução dos volumes de inversores no ano de 2021. São dados até novembro e que, muito provavelmente, passarão dos 9,5 GW até o final do ano para atender tanto a geração centralizada quanto a geração distribuída”, afirmou Takata. 

Volume de importação de inversores FV no Brasil

  • 2018: 1,20 GW
  • 2019: 3,47 GW
  • 2020: 4,94 GW
  • 2021 (até novembro): 8,98 GW

Redução nos preços 

De acordo com Takata, o aumento na importação das tecnologias para o Brasil tem relação com à redução nos preços dos equipamentos ao longo dos anos. “O mercado vem se desenvolvendo, gerando mais escala, aumentando a competição entre empresas e permitindo a redução dos custos”, destacou. 

Os números da consultoria mostram que os preços dos módulos fotovoltaicos, mesmo com a alta em função da pandemia e do aumento da demanda por equipamentos, estão na faixa dos US$ 0,25 por watt. Trata-se de um valor maior do que no começo do ano (US$ 0,20), mas cerca de 30% menor do que em 2018, quando eram cobrados US$ 0,36 por watt.

No caso dos inversores solares, a redução em relação a 2018 é ainda maior: de quase 50%. Há quatro anos, o valor de importação de um inversor residencial de 5 kw no país era de US$ 0,12 por watt. Atualmente, o custo está em US$ 0,07, apontou a Greener.

Publicado Originalmente no Canal Solar em 2021-12-29 08:44:03