Pontos de ônibus de Curitiba vão receber filmes fotovoltaicos orgânicos

Instalações dos OPVs nas estações-tubo de Curitiba serão realizadas em março e abril de 2022. Foto: Thalita Canabarra dos Santos/Divulgação

A UFPR desenvolveu e estará à frente da instalação de um projeto fotovoltaico em Curitiba com OPVs (Organic Photovoltaics), ou filmes fotovoltaicos orgânicos. Eles serão instalados em pontos de ônibus chamados estações-tubo na cidade.

Os OPVs são materiais feitos com polímeros e que atuam como módulos fotovoltaicos de silício na geração de energia elétrica, mas são leves e flexíveis, portanto não alteram a arquitetura da estação. “As superfícies dos telhados das duas estações-tubo serão adesivadas com vários painéis de OPVs, conectados em paralelo e posteriormente a um inversor”, explica Lucimara Stolz Roman, coordenadora do projeto na UFPR.

De acordo com ela, a energia gerada será usada para o consumo da própria estação, com a abertura e fechamento das portas, uso do elevador, na iluminação e nos pontos de recarga para celulares. Quando a eletricidade gerada for maior que a demanda da estação, a mesma será distribuída na rede pública.

O projeto surgiu a partir do estudo de doutorado conduzido pela universidade, que seguirá no projeto acompanhando a aquisição, instalação e eficiência energética das células fotovoltaicas.

A equipe, que é formada por Lucimara, pela física e analista em Ciência e Tecnologia, Anna Gabriela Tempesta, por um aluno de pós-doutorado e por um estagiário, também irá validar a melhor opção que deve ser adotada por Curitiba.

“A equipe será responsável pelas visitas frequentes de acompanhamento nas estações-tubo para avaliação das propriedades elétricas e validação das instalações”, compartilha a coordenadora do projeto.

O projeto de instalação foi proposto pela UFPR para o Ippuc (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba), sendo firmado um contrato entre as partes que definiu as diretrizes da iniciativa.

As escolhidas para a instalação dos OPVs são as estações-tubo Itajubá – uma no sentido centro e outra no sentido bairro. O projeto foi iniciado em dezembro de 2021 e terá duração de 13 meses, sendo que a instalação está prevista para ocorrer entre março e abril de 2022.

As próximas ações do cronograma são a compra das células solares e início dos processos de licitação para contratação da empresa que será responsável pela instalação elétrica e também dos painéis solares nas estações-tubo.

“Aliado ao cronograma técnico, a equipe fará um trabalho de divulgação científica sobre o uso de painéis fotovoltaicos, suas propriedades e diferentes materiais associados a essa tecnologia de energia limpa”, finaliza Roman.

Publicado Originalmente no Canal Solar em 2022-01-11 17:15:46