MUNIQUE, ALEMANHA

A preocupação com as questões climáticas, sustentabilidade e aumento no preço de fontes fósseis têm impulsionado o mercado de tecnologia solar.

Expositores apresentam, este ano, tecnologias e soluções que buscam acelerar a transição climática. O Brasil tem se tornado, cada vez mais, ponto atrativo para investidores do setor. 

Mobilidade elétrica, hidrogênio verde e sistemas agrivoltaicos são apenas alguns dos exemplos que os visitantes da feira podem ver quando se trata de tecnologia sustentável. 

Atualmente, a população na Europa vive uma onda de aumentos exorbitantes nas tarifas de energia e combustível. Consequências pós pandemia agravadas pela guerra na Ucrânia, que mexeu intensamente com o “calcanhar de Aquiles” de países como a Alemanha; a dependência do gás vindo da Rússia. 

A situação tem impulsionado a busca por sistemas fotovoltaicos, para uso doméstico, e por carros elétricos, investimentos que terão retorno garantido. 

O governo alemão vem buscando produzir políticas públicas que possam incentivar a população a participar da transição climática, para isto, o governo concede subsídios para quem deseja instalar sistemas fotovoltaicos ou arca com parte do valor na compra de um carro elétrico, como tem feito a França.   

No entanto, para suprir essa necessidade que tem crescido cada vez mais, se vê necessário que as empresas dos setores de energias renováveis desenvolvam produtos, serviços e tecnologias que possam atender essa demanda. 

Nos corredores da Intersolar Europe 2022 é possível ver como as empresas têm se empenhado para oferecer no mercado opções que possam ajudar a acelerar a meta de descarbonização da Europa. 

Brasil em foco

O mercado fotovoltaico vem se propagando cada vez mais no Brasil, e é fato que o país tem condições excelentes e propícias para ser referência no setor fotovoltaico. 

O segundo dia de Intersolar trouxe a conferência “Descubra novas oportunidades para o crescente mercado de PV no Brasil – Armazenamento e Hidrogênio Verde”, onde palestrantes vindos do Brasil apresentaram o contínuo desenvolvimento do setor dentro do País.  

Rodrigo Sauaia, presidente da ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), falou sobre as oportunidades de investimentos no Brasil e apresentou dados mostrando que o país tem subido cada vez mais no ranking de desenvolvimento sustentável. 

Atualmente, o Brasil ocupa o terceiro lugar em energias renováveis, segundo lugar em biomassa e energia hidrelétrica, após a China, e ocupa o sétimo lugar no setor de energia eólica. No ramo fotovoltaico, o país está em décimo terceiro lugar, subindo cada vez mais no ranking mundial. 

Também estiveram no evento a Luana Lima, representando a Câmara de Comércio e Indústria Brasil – Alemanha, Fernando Passalio de Avelar, Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, assim como Markus Vlasits, diretor e sócio da NewCharge.  

Tecnologia inovadora nos corredores da Intersolar Europe 2022

O mercado fotovoltaico tem crescido no mundo todo, o sucesso da feira e o número de pessoas interessadas em serviços e produtos do setor são a prova disto. Durante o evento, foi possível cruzar com visitantes que buscavam sistemas para uso residencial e tiveram a oportunidade de conhecer tecnologias que atendem desde necessidades domésticas e industriais. 

As baterias e módulos fotovoltaicos portáteis têm entrado cada vez mais em uso. Alguns estandes apresentaram esse tipo de sistema que oferece uma potência de 300W a 600W em bateria, e de 110W até 400W de capacidade em módulos solares. Esse tipo de equipamento que pode ser usado facilmente em viagens, campings ou mesmo para uso residencial em aparelhos de pequeno porte. 

Expositores também apresentam soluções de monitoramento para sistemas fotovoltaicos. Equipamentos que permitem através de câmeras, braços robotizados e termômetros, verificar danos nas placas, procurar a melhor posição para maior aproveitamento da luz solar, assim como monitoramento de temperatura. 

Jinko Solar expande a gama de produtos e lança equipamentos de armazenamento e inversores híbridos

A princípio, a empresa inicia na área de armazenamento para uso doméstico, oferecendo unidades com capacidades de 7,1 quilowatts-hora a 21,31 quilowatts-hora e garantia de até 10 anos. A bateria também é compatível com inversores de outros fabricantes como Goodwe, Solis, Luxpower e Sunways, por exemplo. A novidade, no entanto, não é de fabricação própria da Jinko, mas de uma empresa terceirizada que produz os equipamentos com a logo da empresa.

Publicado Originalmente no Canal Solar em 2022-05-13 13:43:49