Bahia terá decreto para estimular mercado de energia solar

Sistema instalado em unidade escolar em Salvador. Foto: André Carvalho/Smed/PMS

O Governo da Bahia anunciou na última quinta-feira (28), por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, que pretende publicar um decreto que incentiva o uso de energia solar e o crescimento do mercado regional.

De acordo com o governo da Bahia, o decreto visa regulamentar a Lei Estadual 13.914/ 2018 e instituir a Política Estadual de Incentivo à Geração e Aproveitamento de Energia Solar Fotovoltaica no Estado da Bahia.

A proposta vai oferecer incentivos ao desenvolvimento da tecnologia, como linhas de créditos especiais, verbas para pesquisas, fomentos fiscais e financeiros. Sendo assim, a medida prevê tornar o ambiente ágil, seguro e atraente para atrair investidores.

“Além de atrair novos investimentos para a região, gerar mais empregos e renda e estimular o desenvolvimento de novas oportunidades de negócios, o setor está otimista que o decreto poderá contribuir para democratização da energia solar junto aos consumidores residenciais, pequenos negócios, produtores rurais e gestores públicos na Bahia. Assim, a medida deverá ter um papel importante em prol do desenvolvimento econômico, social e ambiental da região”, contou Rodrigo Sauaia, CEO da ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica).

Segundo Ronaldo Koloszuk, presidente do Conselho de Administração da ABSOLAR, o estado com este anúncio fortifica o interesse em democratizar o uso de uma fonte de energia limpa e economicamente viável aos seus consumidores.

A divulgação aconteceu na ABSOLAR Meeting Nordeste, evento realizado em Salvador (BA) e organizado pela associação, que reuniu especialistas e autoridades públicas para debater sobre o mercado de energia solar fotovoltaica.

Mercado fotovoltaico na Bahia

Dados da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) apontam que a capital baiana, Salvador, tem 41,96 MW de potência instalada de energia solar. E segundo a ABSOLAR, a cidade já recebeu cerca de R$ 213,1 milhões em investimentos privados.

“A tecnologia fotovoltaica em telhados e pequenos terrenos gerou mais de 14,6 mil empregos e trouxe uma arrecadação de mais de R$ 640,4 milhões aos cofres públicos”, completou Sauaia.

Publicado Originalmente no Canal Solar em 2022-08-01 15:10:10