O primeiro semestre de 2023 apresentou aumento de 57% no montante transacionado entre fusões e aquisições anunciadas publicamente no mercado fotovoltaico, segundo mapeamento divulgado pela Greener

Nos primeiros seis meses do ano foram 2,05 GWp transacionados, enquanto que no mesmo período de 2022 o valor foi de 1,3 GWp. O aumento, contudo, contrasta com a quantidade de transações realizadas nas duas datas. 

Enquanto na primeira metade de 2023 foram 12 transações mapeadas (seis de empresas e seis de usinas e portfólios de geração distribuída e centralizada), no primeiro semestre de 2022 foram 23 transações computadas.

Destas, foram 13 relativas às usinas fotovoltaicas e portfólios de geração distribuída e centralizada e outras 10 de aquisições de empresas de geração solar e de distribuição.

No ano passado inteiro (de janeiro a dezembro), a potência total mapeada das usinas transacionadas foi de 2,3 GWp. A maior parte delas se localizava no Sudeste e no Nordeste. 

Com relação à fase dos empreendimentos transacionados, a Greener aponta que os ativos operacionais foram responsáveis por 61% das transações em 2022. Durante o primeiro semestre de 2023 essa porcentagem aumentou para 83%.

Segundo o estudo, tais aumento percentual aponta para “um maior foco nas usinas em operação frente aos empreendimentos que ainda estão em construção ou que ainda não iniciaram as obras”, destaca a pesquisa. 

O levantamento da empresa de pesquisa e consultoria pontua ainda, por fim, que com o “cenário desafiador de baixos preços de energia, de prazos regulatórios que exigem maior alinhamento entre os responsáveis pelo projeto e da dificuldade no acesso à transmissão para o escoamento da geração, muitos investidores buscam empreendimentos sem riscos de construção e conexão associados”.

Publicado Originalmente no Canal Solar em 2023-08-29 09:01:01