A Eckisil Freios, indústria de autopeças com sede em Curitiba (PR), aderiu ao mercado livre de energia por meio da 2W Ecobank, uma das principais comercializadoras de energia limpa do país.

Segundo Pedro Lisecki, diretor Industrial da Eckisil, a adesão resulta da busca da empresa de novas formas de encontrar um diferencial inovador que permita maior flexibilidade financeira, além de contribuir com o meio ambiente.

“Buscamos o exemplo de Curitiba que colocará em operação a partir de 2024 uma frota de ônibus elétricos da cidade, sem emissão de CO2 e ruídos, o ônibus elétrico é considerado o futuro da mobilidade nas grandes cidades e apostamos no mercado livre de energia para ingressarmos neste ecossistema de economia e redução de emissão de poluentes nos próximos anos’’, explica.

Ao entrar no mercado livre de energia a empresa estima economizar cerca de R$ 100 mil reais em sete anos de contrato com a 2W Ecobank, que ainda prevê a redução de emissão de 63 toneladas de CO2 na natureza, consumindo energia limpa proveniente de fontes 100% renováveis (eólica e solar).

“Com isso, teremos uma economia de quase 30% na fatura de energia elétrica e sobrarão recursos para serem alocados em outras áreas da empresa como contratação de novos funcionários, ampliação física da empresa e aperfeiçoamento técnico”, ressalta Paulo Roberto Lisecki, diretor Comercial da Eckisil.

Mercado livre de energia no Paraná

O ACL, mais conhecido como mercado livre de energia, é um ambiente competitivo para negociação de energia elétrica e tem se destacado como uma oportunidade para empresas e consumidores obterem vantagens comerciais significativas e diferenciais como utilizar energia renovável e obter o selo de empresa sustentável.

Hoje, ele já responde por 39% do consumo de energia elétrica no Brasil, podendo chegar a 46% com a abertura do mercado de energia em alta tensão a partir de 2024. Só na Região Sul, mais de 30 mil empresas já poderiam migrar para o mercado livre de energia, sendo 14 mil delas no Paraná.

Ciro Neto, Partner e Head de Desenvolvimento de negócios da 2W na região Sul, destaca que os benefícios deste ambiente de contratação incluem potencial economia na tarifa, migração para energia renovável, maior controle e uso mais eficiente do recurso. Indústria em geral, supermercados, comércio varejista e atacadista e condomínios, são exemplos de setores para os quais a migração é bastante vantajosa.

“Temos o objetivo de empoderar os consumidores e conceder a eles o poder de escolha, proporcionando descontos atrativos de 20% a 30%, sem a necessidade de qualquer investimento por parte do cliente, assim como fez a Eckisil”, salienta Neto.

No Paraná, muitas empresas também estão entrando no mercado livre de energia por meio da 2W. Entre os noventa clientes da 2W no estado está a AABB Curitiba (Associação Atlética Banco do Brasil), que irá economizar cerca de R$ 345 mil reais.

Seguindo essa mesma pegada de sustentabilidade, a Formédica, referência em medicamentos manipulados no estado, também aderiu ao mercado livre e vai economizar cerca de R$ 145 mil.

O mesmo vale para a empresa Trelac, da cidade de Três Barras do Paraná, empresa de laticínios a 19 anos no mercado e que agora irá economizar mais de R$ 1,2 milhões.

“Nosso negócio está direcionado para qualquer cliente do grupo A que tenha gastos a partir de R$10 mil com energia elétrica. Essa categoria abrange um amplo segmento de clientes, incluindo indústrias de médio e grande porte como, shopping centers, universidades, supermercados, padarias, hospitais, postos de gasolina, academias, entre outros”, diz Ciro Neto.

“Com a maior abertura do mercado livre de energia prevista para 2024, assim como já acontece em outros países mais desenvolvidos, os consumidores poderão acessar os benefícios de preços competitivos e liberdade de negociação, ampliando suas opções e maximizando a eficiência de suas operações”, acrescenta.

Publicado Originalmente no Canal Solar em 2023-09-15 09:41:26